<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d7480918\x26blogName\x3dSegredos\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttps://secretd.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://secretd.blogspot.com/\x26vt\x3d-219320244018389711', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Segredos..
 

Get some sleep

É daquelas coisas... nunca sabemos quando está para acontecer...
Quando vem, remói-nos a mente e o coração e fica, como uma sombra, no olhar, na voz, nos gestos... nada do que façamos é desencadeador de reacções normais...
Com um toque de telefone as coisas mudaram e agora qualquer que seja a conversa ouvida entre alguéns longe do meu quarto tras o brilho molhado no olhar e a questão "que mais estará para vir?"...

É daquelas coisas que trás agregada uma dose de saudade que acorda com o passar dos dias e uma dose de introspecção que me obriga a matutar sobre assuntos que prefiro nem lembrar mas que, ao mesmo tempo, me mostram o quanto as nossas vidas estavam ligadas e interlaçadas... Não iria fazer sentido arrancar essa presença dos meus últimos 10 anos de vida... se o fizesse talvez eu não fosse quem sou hoje...

Quando a nossa capacidade de percepção volta, suavemente, ao normal, vemos que não adianta chorar, gritar, insultar o Mundo porque ninguém trará o que nos roubaram... ninguém fará o tempo retroceder e impedirá nada de acontecer...


[ Imagem daqui ]


Eu devo confessar que quase me esqueci do som da minha própria voz... quase me esqueci de tudo o resto para lá da porta do quarto... que quase me esqueci que ficaram pessoas que vão precisar de muita coisa para lá do que passou sem ter passado...

Mas deve ser aqui que reside a diferença entre as pessoas... não na forma de sofrer mas na forma de encarar os factos e a tristeza de nada voltar a ser como era antes... antes de uma nuvem passar por nós e nos esconder as estrelas mais brilhantes...

Mas as nuvens podem até permanecer por muito tempo... e os dias podem escurecer e não mais se ver o Sol... que todas as estrelas, das mais brilhantes às mais pequeninas, vão ter sempre um lugar aconchegante no céu e nós, comuns mortais, seres de uma espécie muitas vezes repugnante mas com exemplares dignos de memória, inquilinos de um Mundo a transbordar de injustiças mas com cantinhos puros e sem maldade, nós vamos ter sempre as nossas estrelas a olharem para nós, a sorrirem quando conseguirmos usar as emoções a par da capacidade de raciocínio e a acenarem negativamente de cada vez que não sejamos exemplos para ninguém... mas sempre, sempre connosco...

Porque um dia ouvi dizer que olhar para as estrelas é olhar para o passado... então tê-las sob a nossa cabeça e saber lembrá-las é nunca esquecer... nada e muito menos ninguém.

There